Patrinvest, investimentos imobiliários

Como em toda grande metrópole, a estrutura da cidade de São Paulo é cercada de alta complexidade quando o assunto é desenvolvimento imobiliário urbano. Apesar de parecer que a estrutura foi concebida de forma desordenada, e de fato em parte foi, dada a grande quantidade de labirintos de ruas e avenidas que parecem não ligar nada a lugar nenhum e construções que estão onde aparentemente não deveriam estar, a cidade hoje segue um plano bastante bem elaborado que determina o perfil de imóveis e suas vocações (comercial ou residencial) para cada metro quadrado que a compõe. Trata-se da lei de parcelamento, uso e ocupação do solo, o zoneamento. Mas nem sempre foi assim. Até sua última proposta aprovada em maio de 2016, havia maior flexibilidade para construção de edifícios e imóveis comerciais e industriais em áreas urbanas.

 

Zoneamentos

 

 

O que é a lei de zoneamento?

 

Essa lei tem o objetivo de estabelecer o perfil imobiliário e vocacional de cada região a partir do uso e ocupação do solo. São estabelecidas regras relativas à:
• Quantidade de área construída permitida (coeficiente de aproveitamento);
• Forma como os edifícios podem se espalhar ou se concentrar no lote (taxa de ocupação);
• Altura que os edifícios devem ter (geralmente a altura deriva de uma relação com a largura da via);
• Posição que os edifícios podem ter no lote (recuos frontais, laterais e de fundo);
• Necessidade de garantir qualidade ambiental (taxa de permeabilidade, vegetação, coberturas verdes, etc.).

O zoneamento paulistano é dividido em uma série de siglas que determina o que é possível construir nas regiões onde elas estão demarcadas. Entre as zonas estão:

(Para mais detalhes sobre cada zona, clique sobre os títulos abaixo)

 

Zona Eixo de Estruturação da Transformação Urbana – ZEU
Zona de Desenvolvimento Econômico – ZDE
Zona Predominantemente Industrial – ZPI
Zona de Ocupação Especial – ZOE
Zona Corredor – ZCor
Zona de Centralidade – ZC
Zona Especial de Preservação Cultural – ZEPEC
Zona Mista – ZM
Zona Predominantemente Residencial – ZPR
Zona Exclusivamente Residencial – ZER
Zona Especial de Interesse Social – ZEIS
Zona Especial de Preservação – ZEP
Zona Especial de Proteção Ambiental – ZEPAM
Zona de Preservação e Desenvolvimento Sustentável – ZPDS

Outros projetos de incentivo ao desenvolvimento urbano

Além das zonas que determinam os tipos de ocupação de cada região, existem também os projetos de intervenção urbana (PIU) que são estudos técnicos estabelecidos a partir do Plano Diretor Estratégico com o fim de promover o ordenamento e a reestruturação urbana em áreas subutilizadas aumentando as densidades demográficas, construtivas e o desenvolvimento de novas atividades econômicas.

Operações Urbanas

Há uma série de outras medidas e projetos que promovem o desenvolvimento imobiliário urbano a partir de incentivos como as vendas de CEPACs, dentre eles:

Eixos de estruturação da transformação urbana
Operações urbanas
Projetos para reestruturação de áreas públicas
Entre outros

A cidade de São Paulo segue em constante desenvolvimento como um organismo vivo que, incentivando o desenvolvimento planejado e corrigindo erros do passado, aumenta a capacidade de investimentos e, principalmente, proporciona mais qualidade de vida a todos.

Uma das especialidades da Patrinvest é a formatação de áreas para desenvolvimento imobiliários em São Paulo. Entre em contato pelo telefone (11) 3101-6119 ou preencha o formulário abaixo para mais informações.

    Nome

    E-mail

    Telefone (xx) 0000-0000

    Objetivo / interesse
    InvestimentoCompraVendaLocaçãoParceria


    Gostaria de conhecer outros imóveis na região com este perfil?

    Quais as dimensões do imóvel que você precisa? em m²

    Tem alguma localização de preferência? ponto de referência

    Quanto você pode investir? em R$